A NOSSA PAIXÃO

Mais de 100 anos dedicados ao vinho

O vinho corre no sangue dos Paciência há mais de 100 anos, primeiro como herança de família, depois como negócio de tradição e futuro. Quatro gerações que criaram raízes na lezíria ribatejana: foi aqui que nasceram as primeiras vinhas ainda no século XIX, maioritariamente brancas, da casta Fernão Pires, conhecida na gíria local como Farrampilho.
 
Espremer a uva e fazer vinho ano após ano foi naturalmente uma paixão que nunca se perdeu para ir deixando frutos. As primeiras garrafas centenárias ainda perpetuam na adega com toda a sua identidade e história.

O NOSSO LUGAR

O Ribatejo que nos viu nascer

O nome de família funde-se com o Ribatejo: por aqui nasceram e foram sepultados vários Paciência. Também as vinhas crescem junto ao Rio Tejo por terras de aluvião a perder de vista.

 

Às castas tradicionais ribatejanas, como Fernão Pires e Periquita, alargou-se recentemente o portefólio com a inclusão da Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon ou Syrah nos vinhos tintos e o Alvarinho, Chardonnay ou Viognier nos brancos. A adega-mãe, construída em 1962 em plena vila de Alpiarça por Hermínio Duarte Paciência, mantém o seu carácter intemporal até aos dias d'hoje.

campinos.jpg
Ribatejo.jpg
Image by Maja Petric

O NOSSO COMPROMISSO

A simbiose entre o Homem e a Natureza

Manter a herança antiga imprimindo alguma contemporaneidade, e tanto se aplica no fazer vinho como no pós-engarrafamento.
 

No fazer vinho, tudo se processa como há 50 anos, desde a chegada das uvas até ao produto final. Como mais valias, os recentes equipamentos de frio têm permitido atingir patamares de qualidade nunca possíveis de atingir nos primórdios da adega.


Quanto ao pós-engarrafamento, o respeito pela história é palavra-chave a par da virtude da paciência e inovação. Neste sentido, o objetivo passa por ajustar o perfil tradicional português ao gosto do moderno consumidor, proporcionando vinhos comerciais mas principalmente vinhos com carácter, puros sangues ribatejanos!

rotulo_logo.JPG